Exposição Futuração na Galeria Aymoré


Como a arte pode apontar para outros futuros? A exposição Futuração, em cartaz na Galeria Aymoré entre os dias 6 de março a 24 de abril de 2021, pretende entender como a arte pode apresentar outras imagens sobre o mundo futuro pós-pandêmico, sejam elas possíveis ou não. Reunindo cerca de 20 artistas (Adriano Motta, André Niemeyer, Arthur Palhano, Betina Polaroid, Cabelo, Cadu, Darks Miranda, Eduardo Berliner, Elias Maroso, Gui Mauad, Gunga Guerra, Iryna Leblon, Osvaldo Carvalho, Otávio Barata, Pedro Paulo Honorato, Pedro Varela, Rafael Bqueer, Rodolpho Parigi, Sophie, Vitória Cribb e Yan Copelli), a exposição pretende apresentar e tensionar trabalhos que enfrentem o amanhã, tornado ainda mais complexo após a pandemia enfrentada ao longo de 2020.

A curadoria concentrou o recorte da pesquisa em três interesses: trabalhos que lidam com a imagem digital por meio de apropriações das mídias contemporâneas, tais como a realidade virtual, a simulação e a montagem; obras que dialogam com as possibilidades do corpo e suas reinvenções, seja pelo caminho da desfiguração, da discussão de gênero e/ou da fuga das binariedades; e, por fim, trabalhos que lançam questionamentos sobre as atuais estruturas de poder que normatizam os corpos, questionando-os e propondo sua subversão. Apesar das diferentes perspectivas poéticas e do uso de diferentes suportes, como a pintura, o vídeo, a fotografia e a performance, o fio condutor que reúne os trabalhos busca discutir a potência da arte na geração de outras realidades.

Estão previstas a divulgação de entrevistas individuais a serem publicadas semanalmente no site da Galeria Aymoré, apresentando ao público os trabalhos desenvolvidos pelos artistas e como eles se relacionam com as ideias deste projeto. Pretende-se, ainda, organizar conversas e mesas ao longo do calendário expositivo, reunindo artistas, curadores e pesquisadores de diversas áreas.


Sobre o curador

Lucas Albuquerque

Bacharel em História da Arte pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e cursando mestrando em Processos Artísticos pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Curador independente e curador-organizador da Galeria Aymoré (Rio de Janeiro). Realizou a curadoria das exposições “Bordas da Ausência”, “Portas e Janelas: Arvin Widder”, “Plural - sob os excertos da matéria” e “NaZanza”, além de produzir conjuntamente as exposições “Cosmocinema: Hélio Oiticica e Neville D’Almeida”, “Esqueleto: Uma história do Rio” e outras. Desenvolveu a pesquisa “As relações entre melancolia e nostalgia no filme Sixty Six”, sobre o cineasta americano Lewis Klahr. No mestrado, desenvolve a sua dissertação realizando uma investigação sobre a produção final de Harun Farocki, refletindo sobre a imagem digital e a interseção entre guerra, entretenimento e mídia.


Serviço

Futuração

Curadoria: Lucas Albuquerque

Artistas: Adriano Motta, André Niemeyer, Arthur Palhano, Betina Polaroid, Cabelo, Cadu, Darks Miranda, Eduardo Berliner, Elias Maroso, Gui Mauad, Gunga Guerra, Iryna Leblon, Osvaldo Carvalho, Otávio Barata, Pedro Paulo Honorato, Pedro Varela, Rafael Bqueer, Rodolpho Parigi, Sophie, Vitória Cribb e Yan Copelli

6 de março – 24 de abril

Galeria Aymoré

Ladeira da Glória, 26 – Glória, RJ (próximo a saída B do metrô da Glória)

Horário de funcionamento: ter – sab, 13h às 18h

Entrada Franca sob agendamento no site da galeria



Posts Em Destaque
Posts Recentes